45% dos pacientes desistem de realizar exame de fezes

Estudo publicado pelo Hospital A.C. Camargo Cancêr Center, em São Paulo, realizado com 1200 pacientes, apontou que 45% deles não retornaram ao hospital para entregar a amostra de fezes que seria analisada pelo laboratório do hospital para investigação de câncer colorretal, entre outras doenças.

Para o oncologista Samuel Aguiar Junior, líder do Núcleo de Tumores Colorretais da instituição, este é um dado preocupante, segundo o qual o teste de sangue oculto nas fezes é capaz de flagrar, entre outras doenças, o câncer colorretal, precocemente.

Embora seja um exame simples e de fácil realização alguns fatores contribuem para a desistência e baixa adesão das pessoas, em especial das pessoas entre 50 e 60 anos. A dificuldade de realizar a coleta, constrangimentos em entregar o frasco com as fezes e a falta de tempo estão entre os fatores que mais justificam o fato de paciente não ir ao laboratório, e nos casos em que chega a ir, inicialmente, não retorna para entregar o material.

Publicação realizada pelo site Megacurioso releva alguns dos constrangimentos que, segundo o portal, todo mundo sofre em um consultório médico, entre os quais “quando o médico pergunta como está o seu cocô” e “quando você faz exame de fezes e precisa entregar o potinho”. Curiosidades à parte, este é um assunto que deve ser amplamente abordado e compreendido pela sociedade, dada sua importância para a saúde do paciente.

O exame de fezes é um dos mais pedidos para detectar problemas no sistema digestivo. Deixar de fazê-lo pode adiar o diagnóstico precoce para doenças do estômago ou intestino, problemas na região retal e até mesmo de câncer colorretal.

Identificar presença de sangue, gordura, bactérias, protozoários ou outros vermes estão entre os principais motivos das solicitações de exames de fezes e urina.

O site do Dr. Drauzio Varella traz uma vasta literatura a respeito dos exames de fezes, dando destaque para a utilidade do exame, o preparo necessário antes de realizá-lo, como pode ser realizado e os cuidados após a coleta das fezes. Aos leitores recomendamos acessar drauziovarella.uol.com.br.

Mais simples do que se imagina

Hoje, realizar o exame de fezes é mais simples do que se imagina. A prática de forrar um pedaço de papel ou plástico no chão para depositar as fezes vem sendo substituída pela utilização de novas tecnologias e inovações do mercado de saúde.

Entre essas tecnologias cabe destaque ao dispositivo chamado ColOff que facilita a coleta das fezes, pois o paciente pode utilizar o próprio vaso sanitário. O dispositivo é acoplado no assento sanitário de maneira simples e prática, permitindo que a pessoa se sente, evacue e em seguida realize a coleta.

Imagem do dispositivo ColOff aplicado no assento sanitário

É importante destacar que tecnologias como o ColOff contribuem para a qualidade de vida das pessoas. O dispositivo proporciona segurança, por exemplo, a pessoas idosas, evitando que permaneçam em posição de agachamento sob risco de quedas acidentais.

A tecnologia ColOff vem sendo adotada por serviços de saúde em todo o Brasil, em especial empresas de Home Care, além de testes que estão sendo iniciados junto a secretarias de saúde públicas.

Para conhecer acesse https://coloff.totalmedica.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *